Alsace et Bastille

Alsace & Bastille - Conseil en Stratégie. Paris, Estoril
-Consultancy in Real Estate, Celebrity aviation, railway business, Consultancy in Export Strategy; E-mail: vitorpissarro.alsacebastille@Yahoo.fr or to Twitter adress Vitor Pissarro @VitorPissarro

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

SEM le President de Côte d'Ivoire a Lisbonne

4eme Forum d’affaires qui aura lieu les 13 et 14 septembre 2017 à 09h au Centre Culturel de Belém à l’occasion de la visite d’État au Portugal du Président de la République de Côte d’Ivoire, S.E.M. Alassane OUATTARA.





terça-feira, 12 de setembro de 2017

The President of Ivory Coast, in Lisbon.

Lisbon. I like to go jogging out in the open. Here's a very good track. At the top of Ritz Hotel. Just look at the view.
Meeting the Ministre of Industry and Mines, with Exellence the Embassador of Ivory Coast.










Família....

Lisboa - Eleições Autárquicas Out 2017, com Teresa Leal Coelho. Dizem que os eleitores não conhecem os candidatos. Bem, no meu caso, eu até conheço um candidato da lista do PSD em Lisboa, para a Assembleia Municipal, Miguel Correia de Azevedo - o MEU FILHO. Boa sorte !




sexta-feira, 8 de setembro de 2017

A convite do Sr. Presidente da Câmara de Cascais




Irei ver o debate, Sr. Presidente. Obrigado. E no que respeita à mobilidade espero que a Linha de Cascais seja modernizada com urgência. Dizem que esta linha é das mais rentáveis do país. E o que se verifica é que é uma das mais desconfortáveis e menos amiga da mobilidade. E comparando com outras linhas em Portugal , nas quais tive que viajar, por ex. nos suburbanos do Porto e em outras linhas de Lisboa ( como a da Azambuja) e todas elas têm comboios mais modernos e confortáveis. Não merecemos viajar nas carruagens tão velhas e degradadas. E como também viajo nos comboios urbanos em Paris , vejo que se pode fazer muito mais e melhor. E os passes em Paris são mais baratos do que em Lisboa. Se é para convencer as pessoas a andarem de transportes publicos, invistam no equipamento, na rapidez, na frequência e reduzam o preço dos bilhetes. Parece simples , não é?

quinta-feira, 7 de setembro de 2017

Le Portugal va recevoir plus de français, pour acheter des propriétés. Ici, Il est plus calme.

L'ouragan Irma, du jamais-vu dans cette région selon un spécialiste. Un phénomène "inédit": "c'est un TGV lancé à pleine vitesse".



quarta-feira, 6 de setembro de 2017

The future will be like this ( today)...by CEO of Mercedes / Daimler

Excelente conteúdo para reflexão!
Entrevista do CEO da Mercedes Benz, publicada em 16 de julho de 2017.
" A nossa vida irá mudar dramaticamente nos próximos 20 anos, segundo o CEO da Mercedes. Em uma entrevista recente, Mr. Daimler Benz (Mercedes Benz) disse que seus concorrentes não são mais as outras companhias de carro, mas sim a Tesla (óbvio), Google, Apple e Amazon, considerando que:
1. Softwares irão quebrar a maioria das indústrias tradicionais nos próximos 5-10 anos;
2. Uber é apenas uma ferramenta de software, eles não possuem carros, e são agora a maior empresa de táxi do mundo;
3. Airbnb é agora a maior empresa hoteleira do mundo, embora eles não possuam quaisquer propriedades;
4. Inteligência Artificial: Computadores se tornam exponencialmente melhores em compreender o mundo. Este ano, um computador bateu o melhor Go player no mundo, 10 anos mais cedo do que o esperado;
5. Nos EUA, jovens advogados já não conseguem emprego. Por causa da IBM Watson, você pode obter aconselhamento legal (até agora para as coisas mais ou menos básicas) em poucos segundos, com uma precisão de 90% em comparação com uma precisão de 70% quando feito por seres humanos;
6. Então, se você estuda direito, pare imediatamente. Haverá 90% menos advogados no futuro, apenas especialistas permanecerão;
7. Watson já ajuda enfermeiros no dignostico de câncer, 4 vezes mais preciso do que os enfermeiros humanos. Facebook agora tem um software de reconhecimento de padrões que podem reconhecer rostos melhores do que seres humanos. Em 2030, os computadores se tornarão mais inteligentes do que os seres humanos;
8. Carros autônomos: Em 2018 os primeiros carros de auto condução estarão disponíveis para o público. Por volta de 2020, a indústria completa vai começar a ser interrompida. Você não vai querer ter um carro mais. Você vai chamar um carro com o seu telefone, ele vai aparecer no seu local e levá-lo ao seu destino. Você não vai precisar estacioná-lo, você só pagará pela distância percorrida e pode ser produtivo durante a condução. Nossos filhos nunca irão ter uma carteira de motorista e nunca vão possuir um carro;
9. Isso vai mudar as cidades, porque vamos precisar de 90-95% menos carros. Poderemos transformar antigos estacionamentos em parques. 1,2 milhões de pessoas morrem a cada ano em acidentes de carro em todo o mundo. Temos, agora, um acidente a cada 60.000 milhas (100.000 km), com a condução autônoma, esse número vai cair paraa 1 acidente em cada 6 milhões de milhas (10 milhões de km). Isso vai salvar um milhão de vidas por ano!
10. A maioria das companhias de carro provavelmente vão falir. Companhias de carro tradicionais tentam a abordagem evolutiva e apenas construir um carro melhor, enquanto as empresas de tecnologia (Tesla, Apple, Google) fazem a abordagem revolucionária e constróem um computador sobre rodas;
11.Muitos engenheiros da Volkswagen e Audi estão completamente aterrorizados pela Tesla;
12. As companhias de seguros terão dificuldade enorme, porque sem acidentes o seguro vai se tornar 100x mais barato. Seguros para automóveis irão desaparecer;
13. O mercado Imobiliário vai mudar. Porque se você pode trabalhar enquanto se desloca, já que os carros serão autônomos, as pessoas vão se mudar para mais longe e viver em um bairro mais bonito e quase rural;
14. Os carros elétricos vão se tornar tendência em 2020. As cidades serão menos barulhentas, porque todos os carros novos serão movidos a eletricidade. Eletricidade se tornará incrivelmente barata e limpa: produção Solar tem tido uma curva exponencial de 30 anos, agora você pode ver o impacto crescente;
15. No ano passado, mais energia solar foi instalada no mundo do que o combustível fóssil. As empresas de energia estão tentando desesperadamente limitar o acesso à rede para evitar a concorrência de instalações solares em casa, mas isso não pode durar. A tecnologia vai driblar essa estratégia;
16. Com eletricidade barata, vem a água abundante e barata. A dessalinização de água salgada agora, só precisa 2kWh por metro cúbico (@ 0,25 cêntimos). Não temos água escassa na maioria dos lugares, só temos água potável escassa. Imagine o que será possível se alguém pode ter tanta água limpa quanto quiser, por um custo muito baixo;
17. Saúde: O preço do Tricorder X será anunciado este ano. Existem empresas que irão construir um dispositivo médico (o chamado "Tricorder" do Star Trek), que funciona com o seu telefone, o que leva a digitalização da sua retina, sua amostra de sangue e respiração com ele;
18. Ele analisa 54 biomarcadores que irão identificar quase qualquer doença. Será barato, por isso em alguns anos todos neste planeta terão acesso a uma análise médica de classe mundial, quase de graça. Adeus, estabelecimento médico;
19. Impressão 3D: O preço da impressora 3D mais barata caiu dos US $ 18.000 para US $ 400 nos ultimos 10 anos. Ao mesmo tempo, tornou-se 100 vezes mais rápida. Todas as grandes empresas de calçados, já fazem sapatos com impressão 3D;
20. Algumas peças de avião já estão sendo impressas em 3D, em aeroportos remotos. A estação espacial agora tem uma impressora que elimina a necessidade da grande quantidade de peças de reposição, que costumava ter no passado;
21. No final deste ano, os novos smartphones terão possibilidades de digitalização em 3D. Você pode então digitalizar seus pés em 3D e imprimir o seu sapato perfeito em casa;
22. Na China, eles já construíram um edifício comercial completo de 6 andares com uma impressora 3D. Até 2027, 10% de tudo o que está sendo produzido será impresso em 3D;
23. Oportunidades de negócio: Se você pensar em um nicho que você quer ir, pergunte-se: "no futuro, você acha que vamos ter isso?" e se a resposta for sim, como você pode fazer isso acontecer mais cedo? Se não funciona com o seu telefone, esqueça a idéia. E qualquer idéia concebida para o sucesso no século 20, está fadada ao fracasso no século 21;
24. Trabalho: 70-80% dos empregos vão desaparecer nos próximos 20 anos. Haverá uma grande quantidade de novos postos de trabalho, mas não está claro se haverão novos empregos, suficientes em um pequeno período de tempo;
25. Agricultura: Haverá um robô agrícola de $100 no futuro. Agricultores nos países do 3º mundo poderão, então, tornar-se gerentes de seu campo em vez de trabalhar o dia todo neles;
26. Aeroponics vai precisar de muito menos água. O primeiro Petri prato de vitela produzido, já está disponível e será mais barato do que vaca vitela produzido em 2018. Agora, 30% de todas as superfícies agrícolas é utilizado para vacas. Imagine se nós não precisarmos de mais espaço. Existem várias startups que trarão proteína de inseto ao mercado em breve. Insetos possuem mais proteína do que a carne. Eles serão rotulados como "fonte de proteína alternativa" (porque a maioria das pessoas ainda rejeitam a idéia de comer insetos);
27. Existe um aplicativo chamado "Moodies", que já pode dizer em que humor você está. Em 2020 haverá aplicativos que podem dizer por suas expressões faciais, se você está mentindo. Imagine um debate político onde está sendo exibido quando eles estão dizendo a verdade e quando eles não estão?!
28. Bitcoin, pode mesmo tornar-se a moeda de reserva padrão ... do mundo!
29. Longevidade: Agora, a média de vida aumenta em 3 meses por ano. Quatro anos atrás, a vida costumava ser 79 anos, agora é 80 anos. O aumento em si é crescente e por 2036, haverá mais de um ano aumento por ano. Então, todos nós podemos viver por um longo tempo, provavelmente muito mais do que 100 anos;
30. Educação: Os smartphones mais baratos já estão em US$10 na África e Ásia. Em 2020, 70% de todos os seres humanos possuirão um telefone inteligente. Isso significa que, todo mundo tem o mesmo acesso à educação de classe mundial;
31. Cada criança poderá usar a Khan Academy para tudo, o que uma criança precisa aprender na escola em países do Primeiro Mundo. Já houve lançamentos de software na Indonésia e em breve haverão versões em árabe, Suaheli e chinês, ainda nesse ano. Eu posso ver um enorme potencial, se dermos o aplicativo em Inglês de graça, para que as crianças na África e em outros lugares, possam tornar-se fluentes em Inglês e isso poderia acontecer dentro de meio ano. "

quinta-feira, 31 de agosto de 2017

The son of the former President of the Portuguese Republic, João Soares, loves to fly with SEVENAIR

Portimão (Alvor) a Lisboa, em pouco mais de trinta minutos (35), por pouco mais de cinquenta euros (52.80). Duas vezes por dia. Uma ligação de grande qualidade e utilidade, da Aero Vip. Serviço publico que liga diariamente, Portimão, Tires (Lisboa, navette gratuita), Viseu, Vila Real e Bragança. Os Dorniers são segurissimos e confortáveis. Parabéns ao comandante Pedro Leal e à sua equipa.




segunda-feira, 28 de agosto de 2017

SEVENAIR and Alsace & Bastille - Paris approved by Mauritania Airlines

Tires Airfield - ( Cascais - Portugal)







The Technical Director of Mauritania Airlines , Mr. El Hacen Chorfa, visited Tires and approved SEVENAIR and Alsace & Bastille - Paris as supplier of pilot training, technicians training and parts supplier. The aviation cluster on Cascais is  very sucessful.




From Estoril to the United States ( Wisconsin)


From Lisbon to the United States. My daughter, Leonor , went this weekend to the United States for her Exchange Program of 1 year in an american school. Coincidence, she will be living in Wisconsin, studying at the St. Croix High School (Hammond) and her family lives in Roberts, 45minutes from the Twin Cities ( Minneapolis / St Paul - Minnesota). Well, 34 years after my Exchange program in Braham- Minnesota, my daughter will go to school close to where I studied. Lovely!






Hi, friends from United States. Roberts (Wisconsin) is close to Braham ( Minnesota), as it's shown on the map. My daughter Leonor will be a Panther, at St. Croix High School ( Hammond - Wisconsin).

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

wonderful 50's

Os novos 50 anos

Eles mudam de profissão, começam outra faculdade, se divorciam, casam novamente... Conheça a nova geração de cinquentões que, em ótima forma, é protagonista de uma das maiores mudanças de comportamento do nosso tempo

PRAZER Os cinquentões não ficam mais aprisionados a relacionamentos insatisfatórios. Por isso o aumento do número de divórcios e recasamentos nessa faixa etária ()
Camila Brandalise (camila@istoe.com.br), Fabíola Perez* e Mariana Brugger*
07.03.14 - 20h50 - Atualizado em 21.01.16 - 12h58
95.7K1K
O engenheiro Narcizo deixou o emprego em outubro do ano passado para se aventurar em outras águas: é um feliz calouro do curso de física da Universidade de Campinas. Já José Rubens acorda diariamente às 4h20 para percorrer 70 quilômetros de bicicleta com um grupo de amigos pelas vias paulistanas. Depois de uma jornada extenuante de trabalho – há dois anos deu uma guinada na carreira –, ele ainda encara um treino de musculação noturno. Depois de passar alguns meses viajando sem compromisso pelo mundo, Andrea acaba de ser contratada por uma empresa do setor de óleo e gás. Ana Maria e Elmo namoram há apenas quatro meses, mas já nutrem um sonho em comum – querem fazer ao menos uma viagem internacional por ano. Essas são histórias de vitalidade, coragem e recomeços protagonizadas por pessoas no auge dos seus 50 anos. Mais ativa do que nunca, a atual geração de cinquentões é protagonista de uma das maiores mudanças de comportamento do nosso tempo. “Estamos passando por uma revolução em relação ao envelhecimento como nunca se viu antes. Não é só uma questão de viver mais tempo, mas também com mais saúde e energia”, afirma Vern Bengtson, professor da University of Southern California e especialista em sociologia do envelhecimento. Com mais anos de vida pela frente, a ordem é não diminuir o ritmo nem ter medo de mudar. “Os padrões de comportamento sofreram alterações, por isso é mais comum pensar em novas carreiras, novos casamentos, prática de esportes audaciosos e formas de se vestir diferentes daquilo que se imaginava até então para os 50 anos”, afirma Mônica Yassuda, psicóloga e professora de gerontologia da Universidade de São Paulo.



PRAZER
Os cinquentões não ficam mais aprisionados a relacionamentos insatisfatórios.
Por isso o aumento do número de divórcios e recasamentos nessa faixa etária
Na década de 1960, a expectativa de vida no Brasil era, em média, de 50 anos. Meio século depois, essa estatística soa absurda. Primeiro porque o dado mais recente, de 2012, saltou para 74,6 anos. Segundo porque a realidade de quem tem 50 hoje é totalmente contrária ao que previam as pesquisas. Caso do engenheiro agrônomo José Rubens Macedo, 56 anos, que trabalhou durante 11 anos com franquias do setor alimentício e até hoje gerencia duas unidades de restaurantes japonês e árabe. Em 2012, porém, ele recebeu a proposta de um fundo de investimento para abrir restaurantes em aeroportos brasileiros. “Não imaginei que uma mudança como essa pudesse acontecer a essa altura”, diz. Para conseguir levar adiante seus compromissos de trabalho, Macedo, que é divorciado e pai de quatro filhos, segue à risca uma rigorosa rotina de exercícios, que começa com 70 quilômetros diários de bicicleta, ainda de madrugada, e termina com um treino de musculação noturno.

Nos últimos anos, é cada vez mais comum encontrar cinquentões com um perfil semelhante ao de Macedo. Para a psicóloga Mônica Yassuda, pessoas nessa faixa etária tendem a assumir novos desafios como uma forma de provar a si mesmas e aos outros que são capazes de se reinventar. “É uma maneira de driblar a velhice e reafirmar a continuidade da vida”, diz Suzanne Braun Levine, autora do livro “A Reinvenção dos Cinquenta: Lições de Vida para Mulheres na Segunda Adolescência”. Ela acredita que a sociedade está assimilando essas mudanças de postura, principalmente em relação às mulheres. “Nos tornamos mais independentes e confiantes. Isso significa que quando entramos naquela idade considerada ‘velha’ dizemos: ‘De jeito nenhum! Ainda temos muito o que fazer’. O conceito de envelhecimento está sendo redefinido.” Esse pensamento é o que move a estilista Bibi Barcellos, 51 anos. “Acordo cedo para fazer exercícios e trabalho até tarde. Me sinto com uma energia incrível. A última coisa em que penso é me aposentar”, diz. “Brinco que minha geração não é de cinquentonas, mas de cinquentérrimas.” Sem levantar bandeiras a favor da quebra de estereótipos, essa turma acaba fazendo uma verdadeira revolução do cotidiano – seja na maneira de agir, de encarar a vida ou até no jeito de se vestir. “Estamos rompendo com tudo isso de uma maneira meio invisível. Mas podemos notar várias mudanças em relação às prescrições sociais que dizem respeito à idade. Há muitos homens e mulheres cuja idade não é possível classificar. Não são velhas, mas não são jovens, são ‘ageless’ (sem idade, em inglês)”, diz a pesquisadora Mirian Goldenberg, autora do livro “A Bela Velhice” (Record).

A projeção do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) é que neste ano o País tenha cerca de 21,6% de sua população com mais de 50 anos, o equivalente a cerca de 44 milhões de pessoas. Em 30 anos, esse número vai representar 40% dos brasileiros. Essa revolução em curso, portanto, deve ganhar mais adeptos e enfraquecer os limites de conceitos como “meia-idade”. Se até pouco tempo atrás esse período da vida era conhecido por marcar a quarta década de existência – uma etapa anterior à “terceira idade” em que as pessoas costumam repensar suas vidas –, hoje é difícil estabelecer um momento em que ele de fato comece. O consenso é que esse marco foi atrasado. “Em 1950, quando meu pai fez 40 anos, ele estava na meia-idade. Acho que hoje isso deve estar entre os 50 e 55 anos”, afirma Vern Bengtson, da University of Southern California. A mais recente pesquisa sobre o assunto foi divulgada em agosto de 2013 pela empresa de assistência médica britânica Benenden Health, afirmando que a meia-idade começa aos 53 anos. O levantamento foi feito com duas mil pessoas e relacionava a meia-idade a alguns comportamentos que especialistas da instituição consideram característicos dessa fase da vida, como preferir uma noite com amigos a uma balada, gastar mais dinheiro com cremes anti-idade e preferir fazer uma caminhada em um domingo em vez de passar mais tempo na cama.

SONHO
Narcizo Sabbatini, 55 anos, deixou o trabalho como engenheiro
para estudar física na Unicamp. "Era um desejo antigo"
Na área da psicologia analítica, o psiquiatra austríaco Carl Gustav Jung definiu a segunda metade da vida como o momento em que a pessoa se volta para o processo de busca de caminhos próprios, não dos que os outros ou as convenções sociais exigem. “Diferentemente de quando se é mais jovem e estamos mais voltados para questões estruturais, de sobrevivência, como emprego e família”, afirma a psicóloga clínica Dulce Helena Rizzardo Briza, presidente do Instituto Junguiano de São Paulo. Na vida de Narcizo Sabbatini, essa chave virou aos 55. Depois de trabalhar por três décadas como engenheiro, decidiu voltar para a faculdade e estudar física, um sonho antigo, desde a época em que foi universitário pela primeira vez. “Deixei meu último emprego em outubro de 2013 porque vi que o que eu fazia não me realizava mais. Já tinha estabilidade financeira e minha família estava formada. Resolvi ir atrás de planos deixados para trás”, diz o aluno do primeiro semestre da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). “Quero continuar estudando e penso em trabalhar com pesquisas.” O número de estudantes nessa faixa etária tem crescido muito. De 2002 a 2012, subiu 205,5%, enquanto alunos até 49 anos tiveram um aumento de 93,3%.

ENERGIA
A rotina da estilista Bibi Barcellos inclui acordar às 5h30 diariamente para
caminhar e fazer ioga e trabalhar até de noite em seu ateliê, em São Paulo
A mudança vista na área da educação também aparece no mercado de trabalho. Nos últimos anos, o mesmo mercado que dava preferência à mão de obra da população jovem passou a valorizar profissionais com mais estrada. Para o diretor-executivo da empresa de recrutamento Michael Page, Leonardo de Souza, algumas áreas do mercado, como a indústria e a construção civil, passaram a requisitar um número maior de profissionais experientes. “Pessoas sêniores conseguem aliar energia com uma visão mais ampla e madura do mercado”, diz Souza. Andrea Tavares Fonseca, 53 anos, assistiu de perto às mudanças do mercado de trabalho para a sua geração, mas nunca teve medo de ousar. Aos 51 anos, com uma carreira consolidada, com direito a MBA na Inglaterra, ela decidiu deixar o emprego e viajar pelo mundo. “Estava muito cansada, não conseguia cuidar de mim, fazia apenas coisas relacionadas à empresa”, diz. Depois de uma longa jornada, retornou ao Brasil e foi aprovada em um processo seletivo de uma empresa do setor de óleo e gás. “Não foi um processo fácil, mas, independentemente da idade, o importante é ter coragem e planejamento para buscar aquilo em que acreditamos.”

Na vida pessoal, os tabus em relação a relacionamentos e sexualidade também caem por terra. “As opções aumentaram e os julgamentos morais diminuíram. Como consequência, muitas pessoas não se sentem mais aprisionadas a escolhas do passado. Não gosta do seu casamento? Mude”, afirma o cientista social britânico Chris Middleton, coautor do livro “Pense Jovem: o Mais Bem Guardado Segredo para a Juventude Eterna” (Ediouro). A empresária Maria José Mosquini, 55 anos, e o servidor Elmo Lima, 54 anos, namoram há quatro meses.  Eles são o retrato de uma nova geração que acredita que a idade não é impedimento para começar uma relação. “É muito complicado dar o primeiro passo e voltar a namorar, mas quero construir minha família de novo”, diz Maria José, que já planeja fazer uma viagem por ano ao Exterior com o namorado. O sexo também está muito mais vibrante nessa faixa etária. “Esse processo de perceber que ainda vai viver muito tempo começou a mudar a maneira de as pessoas mais velhas encararem o sexo. Além disso, aos 50 a pessoa já sabe bem o que gosta e o que não gosta. É mais prazeroso”, afirma a sexóloga Carmita Abdo.

VITALIDADE
Ana Carvalhais, 51 anos, começou a fazer exercícios por recomendação médica,
para se livrar da depressão. Hoje maratonista e dançarina, é exemplo para a filha de 23 anos
O bem-estar físico, tanto no que diz respeito à saúde quanto à aparência, é uma das maiores preocupações entre os cinquentões, segundo Mônica Yassuda, da USP. “Observo uma grande valorização das atividades físicas, da psicoterapia e da meditação”, afirma. Foram os exercícios aeróbicos e a dança que ajudaram a dona de casa Ana Maria Carvalhais, 51 anos, a superar uma crise de depressão. Ela começou a praticar exercícios físicos por recomendação médica e logo já era uma participante de maratonas, além de ter iniciado a filha de 23 anos na prática esportiva. “Sinto que ainda tenho muita coisa para viver”, diz, recuperada. Segundo Salo Buksman, geriatra da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia, o conceito mais forte é o de promoção da saúde. “Quem tem 50 hoje pode ser tão saudável quanto alguém com 30, 40. Mas não pode esperar uma ­doença aparecer. Precisa começar a se cuidar cedo. O exercício físico faz aumentar as reservas respiratórias, cardía­cas e cognitivas. Atenua o peso da idade no físico e na mente”, afirma.

A pesquisa “Melhor Idade” realizada em agosto do ano passado pela Nielsen revelou o potencial que a nova geração de 50 anos possui como mercado consumidor. O estudo mostra que essa faixa etária já representa 38% dos lares no Brasil e é responsável por 40% das despesas de casa. “É um consumidor muito ativo, com preferências consolidadas”, diz Jefferson Silva, gerente de homescan da Nielsen. De acordo com a pesquisa, o grupo que mais cresce é o de “maduros bem-sucedidos”, ou seja, a população com mais de 50 anos que tem boas perspectivas para o futuro, emprego estável, economias e planejamento a longo prazo. Um dos setores que essa faixa etária mais movimenta é o de turismo. Prova disso é que a Student Travel Bureau, uma das maiores agências de intercâmbio do País, oferece programas específicos para ela. Segundo o presidente, José Carlos Hauer Santos Júnior, cerca de 15% dos interessados em fazer viagens internacionais possuem mais de 50 anos. “Começamos a criar programas específicos, como de arte contemporânea, culinária, vinhos e, então, surgiram as viagens em família”, diz Santos Júnior. Mudando sutilmente a sociedade em que vivem com suas ações e novos comportamentos, a geração dos 50 deixa um legado para as próximas. Os pais e avós de hoje comprovam diariamente que tudo é possível, em qualquer idade.


sexta-feira, 7 de julho de 2017

visite Marrocos em Cascais, julho 2017



CONHEÇA MARROCOS… EM CASCAIS

Durante três dias, exposições, música e um mercado marroquino de produtos artesanais vão celebrar as boas relações entre Portugal e Marrocos.
A Embaixada do Reino de Marrocos em Portugal celebra este ano o 60º aniversário do início das relações diplomáticas entre Marrocos e Portugal. Para assinalar este momento importante na história dos dois países, a Embaixada do Reino de Marrocos em Portugal organiza os ‘Dias culturais em Cascais’, entre os dias 7 e 9 de julho de 2017.

O simbolismo da data e a celebração que será feita durante 3 dias, conta com o Alto Patrocínio do Presidente da República Português, Marcelo Rebelo de Sousa. Uma iniciativa que contribuirá para deixar uma mensagem sobre as boas relações bilaterais e da singular parceria estratégica entre Marrocos – Portugal.


Os Dias Culturais, organizados em colaboração com a Câmara Municipal de Cascais, bem como outros parceiros portugueses e marroquinos, vão decorrer em diversos locais em Cascais. Uma exposição de pintura terá lugar no Palácio da Cidadela de Cascais, com os quadros do artista Moulay Youssef Elkahfai, intitulada «O desenho das palavras», inspirada no Rei poeta Al Moutamid Ibn Abbad nascido em Beja. No Museu de Castro Guimarães estará em exposição uma coleção de tapetes marroquinos que representam diferentes regiões de Marrocos, intitulada «Tapetes de Marrocos: uma gramática de sons e silêncios».


Um mercado marroquino terá uma vasta gama de produtos artesanais, e conta com a participação da Agência para a Promoção e o Desenvolvimento do Norte de Marrocos, da Agência de Desenvolvimento Agrícola, do Office National Marocain du Tourisme e das Associações de Comunidade Marroquina residente em Portugal. O mercado realiza-se no Mercado aberto da Vila de Cascais durante estes 3 dias com a animação no final de tarde com duas apresentações musicais.

Uma noite musical vai ter lugar na Cidadela de Cascais, protagonizada pela diva da música árabe-andaluza, Zineb Afailal. Também irá decorrer um desfile de trajes tradicionais (caftan) que faz parte da coleção “Resort 2017) da estilista marroquina NajiaAbadi.

quarta-feira, 5 de julho de 2017

Why women of 40 and 50 are the new 'ageless generation'



http://www.telegraph.co.uk/women/life/women-40-50-new-ageless-generation/?WT.mc_id=tmg_share_tw
2 JULY 2017 • 6:00AM
Lean, lithe, beautiful and effortlessly cool, Polly Kemp teaches yoga at the hip hotel and members’ club Babington House in Somerset. She’s addicted to Instagram and loves fashion and travelling.

But no, she’s not the woman on the left – that’s her 19-year-old daughter Iggy, a model who lives in London. Polly (right) is a mother of three (she also has sons Gabriel, 22 and Finlay, 17, with her photographer husband Iain) and is 51.

‘Don’t get me wrong. I’m under no illusion that I am 19 or look 19; I’m very comfortable in my own skin – lines, grey hair and all,’ she says.


‘But I know I live very differently from how my mother and grandmother did at my age. Iggy and I often borrow each other’s clothes, although we might not wear them in the same way. And we both love vintage clothes, so we often trawl charity shops together. We enjoy the same TV series on Netflix, such as Schitt’s Creek, Girlboss and Grace and Frankie; and we’re following the same online daily yoga challenge on YouTube.

‘When I hear the term “middle-aged”, I have to stop and think, “Is this meant to be me?” I don’t polish silver or plan menus, and I’m not interested in housework. I am also spontaneous and I don’t think that’s a quality traditionally associated with middle age.’

Polly’s age-defying attitude is something I can relate to. Growing up, if I’d pictured myself aged 53, my hair would be a little less long and blonde and a great deal more grey than it actually is – and I’d be wearing frocks and face powder, not jeans and CC cream.

And now a new survey exclusive to the Telegraph has found that, like Polly and me, 96 per cent of 40-plus women don’t feel middle-aged at all.

The study of more than 500 women by marketing agency SuperHuman found that 80 per cent felt society’s assumptions about middle-aged women do not represent how they live their lives.

More than two thirds considered themselves in their prime of life; 59 per cent felt as vibrant and young as they ever have – partly due to a focus on health and fitness – and 84 per cent said they don’t define themselves by age.

SuperHuman was founded by Rebecca Rhodes, 44, and Sandra Peat, 42, who feel brands are failing to realise just how midlife women have changed.

Perennials are ever-blooming, relevant people who know what’s happening in the world
Armed with negative stereotypes about older women, companies still focus on millennials despite the greater financial firepower of 40-plussers. Says Rebecca, ‘By 2020 it is estimated that up to a third of the UK workforce will be 50-plus and they will control 80 per cent of the wealth.

'We know that 85 per cent of purchasing decisions are made by women and yet 91 per cent of women don’t believe advertisers understand them. This isn’t good enough.’

As a result, she adds, ‘Eighty-four per cent of the women we surveyed used products and services they felt were aimed at younger women.’ But the generation gap is closing. ‘Forty-plus women today look, feel and live differently than the generation before them – 90 per cent consider themselves to have a much younger attitude than their own mother’s generation at the same age,’ she adds.

In short, women in their 40s, 50s, 60s and beyond no longer associate themselves with a life of lawnmowers and Rotary Clubs, cheese and wine parties, elastic waists, river cruises and walking tours of Madeira. Even the term ‘middle aged’ is fast becoming obsolete.

People magazine recently named Julia Roberts, 49, as the World’s Most Beautiful Woman 2017, 26 years after she first made the list. And France’s youthful new president Emmanuel Macron, 39, has been pictured passionately kissing his glamorous blonde wife Brigitte, who just happens to be 64.

Everywhere we look, highly visible older women are rewriting all the rules. From JK Rowling to Nicole Kidman; Michelle Obama to Anna Wintour, they are at the peak of their power and creativity.

They are engaged, influential and often increasingly political.

There’s even a new term to describe people with this no-age mindset: ‘perennials’. It was coined by US internet entrepreneur Gina Pell, 49, who explains, ‘Perennials are ever-blooming, relevant people of all ages who know what’s happening in the world, stay current with technology and have friends of all ages. We get involved, stay curious, mentor others, and are passionate, compassionate, creative, confident, collaborative, global-minded risk takers.’


This attitude can be helped by the way we look. And if that sounds trivial, it’s not, according to Ellen Langer, professor of psychology at Harvard University. Her researchers have found that people who feel old compared to others tend to age faster, and a major factor in this is the way they dress. Those in the study who wore uniforms, and so dressed the same as younger colleagues, suffered fewer age-related illnesses.

The good news is that we don’t need a white coat to gain the same health benefits; nor do we need to dress ‘young’. ‘Since the 1990s, society has become increasingly informal and fashion has become more generic,’ says Rebecca.

‘In today’s Converse-and-jeans uniform, worn by everyone from 10 to 70, you often can’t tell how old a woman is from behind.’

Indeed, a glance at shots of classic perennials Julianne Moore, 56, and Emma Watson, 27, reveals that despite their three-decade age gap, they favour an identikit look of striped tees, oversized coats, leather jackets, jeans and trainers.

 Assessing her own fashion evolution, Polly says, ‘I thought that by this age I’d want to look “smart”. Instead I like to look cool and sexy, and I live in trainers to the extent that I wonder why I even have my other shoes. Like Iggy, I’m in jeans all the time, though I might pair mine with a silk blouse and a jacket.’

Happily, SuperHuman’s survey found that 67 per cent of women over 40 felt more confident than they did a decade ago, and just as many were more ambitious too. ‘Doing things that challenge me’ was important to 60 per cent of women in the survey; personal fulfilment was a priority for 61 per cent, while 63 per cent described themselves as ‘very optimistic’ about the future. Almost 80 per cent said they had a strong appetite to explore and experience new things with or without their kids.

I thought by this age I’d want to look 'smart'. Instead I like to look cool and sexy
‘The idea of retiring at 50 and having an empty nest is totally out of date for most people,’ says Richard Cope, a consumer trends analyst at Mintel. ‘Economic pressures and increasing pension ages mean women are working longer and thus spending time with younger colleagues. At the same time, due to property and rental costs, more adult children are living at home, and their attitudes are influencing their parents, causing what’s known as generational blurring.’

When her 17-year-old daughter became vegan a year ago, author Fiona Gibson, 52, ended up dramatically changing her own diet. ‘Erin opened my eyes to the ethical issues and health downsides of my more meat-heavy diet. I probably eat vegan four days out of seven now.’

Lynne Barratt-Lee, 58, also a novelist, says she’s picked up her 24-year-old daughter Georgie’s online shopping habits. ‘We get confused over who’s put what in the Asos basket,’ she says.

 But there’s one black cloud in this sunny picture. While 40-plus women feel very confident in their abilities and opinions, 48 per cent of those surveyed said they felt less confident about their appearance than they had a decade ago, citing pressure to stay looking young – and 83 per cent felt this affected their self-image.

Rebecca calls this the ‘confidence paradox’, and adds that while older celebrities and models are more visible than ever before in adverts and on screen, women in their 40s and 50s still feel ignored.

Entrepreneur Grace Fodor agrees. Two years ago, she founded cosmetics brand Studio 10, aimed at women in midlife. ‘Currently, older women are part of the zeitgeist,’ says Fodor, 50, citing Michelle Obama and Jenna Lyons as examples. ‘But remember: we’re for life, not just this season’s marketing strategy.’
The future, says Gina Pell, lies with forward-thinking companies such as Netflix and Amazon who profile customers by their tastes, not by their age. ‘Defining people by their birth year is so antiquated,’ she concludes.  


As melhores praias de Cascais



As melhores praias da linha de Cascais

Apanhe o comboio no Cais do Sodré e siga linha fora. É barato, ecológico e ainda finta traumas de trânsito e estacionamento. Pare nas estações certas para aproveitar as melhores praias da linha de Cascais

Fotografia: Manuel Manso
Carcavelos
Próxima paragem: praias da Linha. A menos de uma hora de Lisboa – e à distância de um comboio – não faltam escolhas para estender a toalha na areia e dar um mergulho. Estas são as melhores praias da linha de Cascais. 
Se estiver com tempo para passear ainda mais para fora da cidade, visite então as praias da Arrábida – são 13, e todas com ar de postal – ou passe por um dos paraísos aqui por perto. E quando a fome começar a apertar não se fique pela bola da praia, temos nove restaurantes de praiapara comer bom peixe e inspirar maresia.

As melhores praias da linha de Cascais

Praia de Carcavelos

Praia de Carcavelos

Fica a 26 minutos de comboio de Lisboa (bom, um pouco mais se contar com o caminho até à praia, mas o caminho é agradável – e mais rápido se o fizer em cima de um skate). O extenso areal dá para tudo e todos. Não, não é dos destinos mais tranquilos, é possível que passe a tarde a ouvir música alta e conversas alheias, mas os acessos são facilitados e até dá para uma partida de volley, andar de skate, um pouco de jogging, uma aula de surf, uma bola de Berlim e comprar bugigangas ou pareos. Findas as obras, o Windsurf Café está de volta, e com ele a esplanada, os hambúrgueres e os sumos naturais. Ananás, gengibre e hortelã é uma solução vencedora, por 4€.
Praia de São Pedro

Praia de São Pedro

Se já deu por si a almoçar um pão de alho tamanho XL e caipirinhas não está sozinho no mundo balnear. A esplanada de São Pedro convida a este tipo de desvario perfeitamente aceitável e desejável (mesmo que seja dia de trabalho e só tenha decidido dar um pulo à praia). Detalhe relevante: não têm multibanco. Se não vem com o tempo contado e trouxe consigo a toalha, perfeito. Faça o favor de procurar um espacinho e de estendê-la. Plano alternativo para petiscos? Passe no Boteco da Linha.
Praia da Bafureira

Praia da Bafureira

É rochosa quanto baste, os acessos implicam alguma paciência, nada friendly para miúdos, mas no fim de contas é bem capaz de agradecer a viagem (desde que a maré cheia não tenha comido todo o areal, claro). É ideal para ir a solo e se pertence ao leque de banhistas para quem praia é sinónimo de esplanada, insira aqui o estado “sinto-me agradecido”. A do Bafureira Sunset Beach Club, com o seu SushiFashion, é uma hipótese feliz, mais que não seja para assegurar a fotossíntese diária. Fica a cerca de 15 minutos a pé da estação de comboios de São Pedro de Estoril.
PUBLICIDADE
Praia da Poça

Praia da Poça

Para o caso que nos interessa, meter a pata na poça é altamente recomendável e garantia de sucesso. Saia na estação do Estoril e faça o percurso a pé (cerca de cinco minutos) pelo Paredão. Uma escada e uma rampa indicam-lhe o caminho até ao areal habitualmente ocupado por famílias. Para reclinar as costas, centre atenções no paredão e cace uma cadeira no restaurante Opíparo (para pizzas, saladas e massas, bifes ou pratos de peixe) ou no snack-bar Surpresa. Caracóis (a partir de 4,50€), pica-pau (7,70€) e amêijoas (12,50€) destacam-se na carta de petiscos.
Azarujinha

Azarujinha

Já que está na Poça, aproveite a boleia e siga para a Azarujinha através do passeio marítimo. O procedimento é o mesmo para quem vem de comboio (sair no Estoril e ir andando), até porque o acesso à praia é pedonal. A alternativa é usar as escadas associadas ao acesso pela Av. Marquês de Leal. O pequeno cenário é aparentado de um daqueles postalinhos, com o anfiteatro natural, rodeado por falésias. Já não encontrará figuras ao nível de Bino, velho pescador e nadador salvador conhecido por untar as costas das raparigas com creme, mas outras personagens andarão por ali.
Praia das Moitas (aka Praia da Rata)

Praia das Moitas (aka Praia da Rata)

Uma tosta especial no Baiuka Grill pode passar dos 6€ mas tem tamanho suficiente para não precisar de fazer mais nenhum pit stop ao longo do dia de banhos. Se é daquelas pessoas que só se atreve a ir para a praia de estômago minimamente confortado, está bem entregue na Praia das Moitas, aka Praia da Rata. As suas pernas agradecem a localização abençoada, junto à estação do Monte do Estoril, e os acessos facilitados. É uma praia pequena e rochosa, portanto todo o cuidado com acidentes é pouco. A sua companhia prefere águas paradas? Encaminhe-a para a piscina oceânica Alberto Romano, ali ao virar da esquina. Funciona das 08.00 às 18.00 e tem acesso livre.
PUBLICIDADE
Praia da Conceição

Praia da Conceição

A “Riviera portuguesa”, a norte de Lisboa, continua a cair no goto de publicações de lifestyle, incluindo a levíssima revista Telva, que em Maio gabava as maravilhas da zona, num longo artigo dedicado ao “refúgio europeu da moda”. A marcar o início do passeio marítimo de três quilómetros, que se estende até à Azarujinha, em São João do Estoril, está a praia da Conceição (há uma capelinha junto à praia erguida em honra de Nossa Senhora da Conceição, daí o nome). A localização, em pleno Cascais, é privilegiada, e para mais situa-se entre o Chalet Faial e o Hotel Albatroz, a partir de cujo terraço a vida se torna mais suave para qualquer mortal. Acompanhe com petiscos entre os 5 e os 18€. Ostras, prego no pão com alho, sanduíche club, você decide. Espreite ainda a novidade da zona, o Bar da Praia, o primeiro espaço do paredão, com pizzas, bruschettas e polenta.